A Clínica de São Cristóvão – Associação de Socorros Mútuos de Empregados no Comércio de Lisboa (CSC-ASMECL) celebra o seu aniversário hoje, 12 de abril. Para comemorar 150 anos ao serviço da saúde em Portugal, a instituição debate o papel das mutualidades nos cuidados de saúde, nesse dia, na sua clínica.

A associação viu nascer na sua maternidade nomes como João Soares ou Mariana Vieira da Silva. Para celebrar essa existência, o Salão Nobre da Clínica de São Cristóvão abre as portas, às 15h00, a um debate sobre “O papel das Associações Mutualistas nos cuidados de saúde em Portugal”.

A abertura da sessão solene fica a cargo de Fernando Fernandes, Presidente do Conselho de Administração da CSC-ASMECL. Uma vez que o debate em torno do papel das mutualidades na saúde é tão fundamental, estão já confirmadas as presenças da secretária de Estado da Inclusão, do Vice-Presidente e de outros representantes da APM-RedeMut, do Presidente da Fundação Inatel, do Presidente da CNIS e da UDIPSS e de vários responsáveis de mutualidades como o Montepio Rainha D. Leonor ou da MONAF. Antes de o diretor clínico da Clínica de São Cristóvão encerrar o evento, serão entregues diplomas a todos os funcionários com mais de 20 anos de serviço.

A CSC- ASMECL é uma das mais antigas Associações Mutualistas do nosso país, desempenhando, desde a sua criação, um importante papel na área da saúde e de apoio social junto da população. Tendo já sido condecorada com a Comenda do Oficialato da Ordem Militar de Cristo e a Comenda da Ordem da Benemerência, a mutualidade tem, atualmente, quase todas as especialidades médicas e uma residência medicalizada, que garante uma inegável qualidade de vida a todos os seus utentes.

“Em Portugal, a CSC-ASMECL assume-se como uma entidade que, desde há 150 anos (nasceu a 12 de abril de 1872), é um marco importante na prestação de cuidados de saúde aos cidadãos deste país”, afirma o Presidente do Conselho de Administração da Clínica de São Cristóvão. Fernando Fernandes deixa claro que “estamos, e estaremos, à disposição de todos, na ótica que nos norteia como Associação Mutualista, que, como tal, não encara a saúde como um negócio, mas como um objetivo social”.

Imagem: DR.

Fonte: A Nação

APM