APM – RedeMut pede prioridade para quem assegura serviços essenciais nas IPSS

. A APM – RedeMut pede vacinação prioritária a profissionais de saúde e ação social.

. Direção dirigiu carta à Task-Force para o Plano de Vacinação

Lisboa, 5 de fevereiro de 2021 – A APM-RedeMut – que representa 24 das maiores associações mutualistas – defendeu junto da Task-Force para o Plano de Vacinação, a necessidade de imunizar com a maior urgência os profissionais das instituições de solidariedade social, que têm respostas na área da saúde e da ação social, em especial de apoio domiciliário.

Numa carta dirigida à Task-Force, a direção da APM-RedeMut explica que a maioria das associadas que representa prestam cuidados de saúde e organizam respostas sociais. «Além das consultas médicas e dos meios complementares de diagnóstico e terapêutica que realizam em diversas especialidades, também gerem estruturas residenciais e outras respostas sociais, nomeadamente serviços de apoio domiciliário, colocando os seus profissionais na linha da frente de combate à pandemia», refere. 

Algumas mutualidades tiveram mesmo de reforçar as equipas para continuar a dar resposta, uma vez que a fuga aos hospitais e centros de saúde do serviço público levou ao aumento da prestação de cuidados de saúde das associadas da APM-RedeMut. «Temos equipas de apoio domiciliário a prestar serviços em contextos sociais e económicos frágeis e outras a apoiar especificamente doentes COVID-19, todos com enorme exposição ao risco do contágio do vírus», explicam os responsáveis. Dos cerca de 1600 colaboradores das várias associadas, metade asseguram serviços essenciais e estão na linha da frente do combate à pandemia e, por isso, em grande exposição ao risco de contágio. Assim a APM-RedeMut solicita «às entidades competentes, com urgência, a indicação de prioridade na vacinação contra a COVID-19, relativamente às pessoas que asseguram serviços essenciais nas instituições particulares de solidariedade social».

Este pedido coincide com a aproximação da fase de vacinação das pessoas que asseguram serviços essenciais, daí ser imprescindível «definir uma priorização deste universo, que naturalmente inclui os médicos, enfermeiros, técnicos de diagnóstico e terapêutica, auxiliares de ação médica, assistentes de consultório, rececionistas, ajudantes familiares e assistentes sociais». É urgente olhar para estes profissionais e perceber como é possível não serem prioritários, apesar estarem na linha da frente.

Sobre a APM-RedeMut

A APM-RedeMut – Associação Portuguesa de Mutualidades é uma organização de 2º grau que representa 24 das maiores associações mutualistas* que, no seu conjunto, representam quase 800 mil associados e mais de mil colaboradores. Segundo dados do mais recente observatório mutualista, as associadas da APM deram respostas sociais a quase 4 mil utentes, entre os quais 1651 famílias e comunidade no geral, 614 crianças e jovens (creches, pré-escolares e ATL), 929 pessoas idosas (ERPI e centros de dia) e 54 pessoas vítimas de violência doméstica. Relativamente aos cuidados de saúde, as mutualidades praticaram quase 650 mil atos médicos e disponibilizaram mais de 400 camas.

*Associações Participantes da APM – RedeMut: Benéfica e Previdente, Beneficência Familiar, Lacobrigense, Mutualidade da Moita, Previdência Portuguesa, Vilanovense, CSC – ASMECL, ASM Ponta Delgada, Montepio Nossa Senhora da Nazaré, Associação Mutualista Montepio,  ASM João de Deus, União Mutualista N.S da Conceição, Mutualidade Popular, Montepio Rainha D. Leonor, Casa da Imprensa, ASM 4 de setembro de 1862, Associação Mutualista Freguesia de Vilar, MONAF, MUSSOC, AME Associação Mutualista dos Engenheiros, Lutuosa de Portugal, ASM Fúnebre Familiar de Ambos os Sexos de Pedroso.

APM